Plaina de madeira: final feliz

Conclusão da minha primeira plaina de madeira

6 comentários

12 de Janeiro de 2016

A plaina ficou pronta já faz mais de uma semana, porém eu estava esperando passar alguns dias de uso para publicar aqui as impressões finais. Afinal de contas não é porque ela tira uma fita espessa de Cedro Rosa e outra fina de Peroba Mica que se pode concluir que a construção foi um sucesso. A ferramenta precisa ser confortável, o paralelismo da lâmina e sua protusão devem permanecer com a mesma configuração após diversas passadas, a cunha deve se manter fixa e por ai vai. Sim, a plaina além de atraente para os meus olhos ela parece funcionar muito bem e obrigado! Desde a última postagem a ferramenta ganhou uma cunha definitiva. O que havia de problemático na cunha temporária era que a mesma não fazia contato com a cavilha por toda a sua extensão, isso além de forçar indevidamente a cavilha pode permitir o movimento lateral da lâmina durante o uso contínuo. A cavilha foi substituída porque a primeira foi quebrada com uso contínuo de um martelo inapropriado (mais detalhes na postagem Martelinho de latão). O shape da plaina foi concluído através do meu arco de serra de madeira e grosas. Por último um acabamento superficial com Óleo de Tungue.

Eu acabei desistindo da curvatura na sola. É a minha primeira plaina e acabei me apegando muito a ponto de arriscar um procedimento tão drástico. No mais a sola da plaina ficou bem fina para tal modificação. A idéia é fazer uma segunda plaina :D (Uma boa desculpa, hehe). A princípio a plaina está sendo destinada para o acabamento final. Como tenho poucas plainas até o momento, não é trivial manter uma com afiação fresca o suficiente para aquelas passadas finais antes da colagem ou até mesmo depois.

O que não deu certo? Até agora a única percepção é a ausência de qualquer arredondamento nas arestas da plaina. Eu me arrependi por não ter notado isso durante a modelagem do shape. Apesar da parte da frente funcionar muito bem, como um ótimo descanso para o dedão, a parte traseira chega a machucar a mão nas arestas, independente da curvatura generosa. Segurando com jeito o problema é minimizado, mas de certo que é um ponto a ser corrigido para a próxima.

Percebo agora ao escrever esta postagem que não há qualquer fotografia com fitas, somente registros para a posteridade, hehe. Bom, há duas fotografias do gênero na postagem anterior e espero que a plaina possa aparecer em funcionamento por mais vezes aqui no site: acredito que oportunidade não irá faltar.

Comentários

  • Sérgio Oliveira

    12 de Janeiro de 2016, 11h45m

    Simplesmente irretocável Cosme. A plaina além de funcional, ficou com uma beleza singular. A curvatura que você fez deve ter deixado realmente confortável e prazeroso de trabalhar com ela. Vou ficar no aguardo da próxima plaina e quem sabe me espelhar no seu trabalho e tentar fazer uma. Peço ao amigo, se for possível é claro, que passe o link ou indique algum material para que eu possa me inteirar sobre a lâmina que você utilizou na construção.
    Um cordial abraço.

    cosme

    12 de Janeiro de 2016, 15h48m

    A curvatura ficou boa tanto na frente quanto na traseira, o problema realmente ficou nas arestas vivas, em especial da traseira: algo bobo mas que ficou de lado. De fato encaro que é totalmente factível retocar isso a tempo, é um ponto a ser refletido...

    Muito bom Sérgio, escreva se houver possíveis dúvidas ou até mesmo uma troca de ideias sobre a construção, quem sabe consigo lhe ajudar com algo.

    Claro, navegue por aqui: http://www.hocktools.com/products/pi.html
    A minha lâmina é de 1 1/2, mas isso é meramente uma questão relacionada ao tamanho/estilo da plaina que você quer construir.

    Recomendo fortemente a aquisição se quiseres simplificar a construção com também eliminar algum possível problema relacionado a lâmina.

    Em tempo, acho muito interessante as plainas de madeiras para nós brasileiros devido a possibilidade de se ter ferramentas que não deixam a desejar com relação a plainas de metal de primeira classe, a troco de um custo significativamente mais convidativo. A minha observação, que é extremamente particular, vale mesmo assim para esse dólar alto. Não custa enaltecer que diversas plainas podem vestir um única lâmina.

    Um abraço

  • paulobro

    12 de Janeiro de 2016, 15h19m

    Ando lendo Krenov, e dei especial atencao `a extensa, detalhada abordagem sobre plainas que 'o cara que plainava tudo' faz no seu "The Fine Art of Cabinetmaking"...

    Assim, vendo a belissima peca que produziste, a primeira coisa que me saltou aos olhos... foram os cantos vivos na traseira. O velho nao era dado a acabamentos caprichados nas ferramentas que fazia mas... Enfim, melhor dares uma espiada em dois exemplos de pecas feitas por ele:
    http://www.popularwoodworking.com/wp-content/uploads/2010/10/Krenov2.jpg
    http://www.inthewoodshop.com/ToolReviews/The%20James%20Krenov%20Smoother_html_34926643.jpg

    cosme

    12 de Janeiro de 2016, 15h52m

    Obrigado pela leitura Paulo. Há de chegar o intervalo de eu ter mais tempo para estudos mais profundos. Já estou com saudades.

    A última plaina lembra-me com clareza umas das plainas que me fizeram abrir as pupilas lá no vídeo que você compartilhou. Lembro de associar rapidamente a frente a uma proa de navio.

    Posso até estar enganado, mas acho que já era tarde... A modelagem já havia sido realizada. Fiquei um tanto na moita à espera de testes e mais testes antes de sair jogando para o alto confetes de pré-carnaval.

    O corpo levou somente uma aplicação de Tungue com exceção da aplicação diluída, quem sabe...

    Abraço

  • Xislair

    11 de Fevereiro de 2016, 08h43m

    Cosme,

    Sensacional sua plaina, como sempre seus trabalhos são sempre muito bem executados, até parecem trabalhos de um luthier, tamanho esmero no acabamento, gostei muito!! Parabéns!!

    Abraços,
    Xislair!!!

    cosme

    11 de Fevereiro de 2016, 08h47m

    Obrigado Xislair, a plaina inclusive já foi utilizada no acabamento de um projeto que conclui recentemente.

    Um abraço

Participe, deixe um comentário:

Nome
Email
Comentário