Plaina de madeira: a primeira fita

A primeira fita a gente nunca esquece

16 comentários

2 de Janeiro de 2016

Antes de continuar a construção eu acabei dedicando um dia de trabalho para a colocação de uma sola de Peroba Mica com espessura aproximada de 1/4". Como o Freijó é muito macio, estava nos meus planos o uso de uma sola de uma madeira dura, porém eu acabei esquecendo e prossegui com os dois cortes do corpo que dão origem as duas laterais. Acabei recebendo alguns comentários sobre a questão e refleti sobre a possibilidade de aplicar a sola. No caso eu já tinha a plaina com as rampas cortadas e retificadas, o que aumenta drasticamente o trabalho e a complexidade. Sinceramente, não sei se aplicaria a sola nesta primeira plaina se eu voltasse no tempo. Digo isso porque foi bem complicado retificar todas as peças novamente. É importante lembrar aqui que as rampas por si só já dificultam um novo aparelhamento no intuito de segurar as peças. A idéia desta plaina não é ser duradoura mas sim ser uma primeira plaina que funcione. A questão da madeira da sola não está relacionada ao funcionamento mas sim a durabilidade. A sola deveria ter sido aplicada após o aparelhamento do bloco que inicial, antes das laterais serem cortadas. Mas enfim, sola colocada, segui em frente com o que tinha.

Com a lâmina de 1 1/2" em mãos eu pude continuar o projeto. O próximo passo foi marcar em uma lateral de referência a posição das duas rampas. Depois eu apoiei a lâmina sem o contra-ferro e movi o bloco do nariz até que o fio da lâmina repousasse a uma altura de 1/8" da sola. Em tempo, esta plaina funciona com uma lâmina com chanfro para baixo:

Retirei o bloco do nariz e fiz a marcação da cavilha que será tensionada pela cunha de madeira que fixa a lâmina. A lâmina e o contra-ferro são fixados através de uma cunha de madeira que se entala com a cavilha fixa ao corpo da plaina. O entalamento é através de pequenas marteladas na cunha. Juntei as duas laterais com as faces externas viradas para dentro. Alinhei as laterais entre si e fiz o furo para a cavilha. Essa dica de furação das laterais eu peguei com o Tom Fidgen no projeto de uma plaina de madeira que se encontra no seu livro. É uma dica bem interessante para quem está trabalhando desplugado:

Outra dica que me parece muito boa, e relatada pelo David Finck, é o uso de cavilhas nas extremidades superiores do corpo da plaina. Essas cavilhas ficam sem cola e ajudam no alinhamento e na colagem da plaina. Infelizmente, o menor diâmetro de cavilha que dispunha era de 1/4". Tentei sair mais da borda do que o proposto mas a madeira rachou bem na lateral. Na verdade já imaginava correr esse risco mas mesmo assim tentei. A foto abaixo demonstra parte do problema porque há um pequeno pedaço de madeira que saiu mas na verdade há uma rachadura grande porém para se ver é necessário olhar pela testa ou levantar levemente a extremidade da lateral. A rachadura em sim não seria problema porque a lateral é colada com as rampas. O pior de tudo isso não é o "furo defeituoso", até porque isso deveria sair na modelagem final da plaina, mas sim a ausência do mecanismo que facilitaria a colagem. Em tempo, a colagem foi bem difícil e fiquei no limite do tempo de cola. As partes se moviam a minha revelia e infelizmente a cavilha que prende a cunha ficou um pouco fora do esquadro. Problema que não consigo visualizar se eu tivesse utilizado as cavilhas nas extremidades como guias de montagem. Um grande aprendizado:

Verifiquei a montagem, repousei a lâmina novamente para fazer verificações e desmontei o conjunto para abrir o canal que recebe a cabeça do parafuso do contra-ferro. É recomendável deixar uma gordura de ~1/8" na parte inferior do canal, caso contrário há o risco da lâmina não ter liberdade suficiente para a projeção desejada. O mesmo vale para o espaçamento lateral, o canal deve ter uma gordura com relação ao diâmetro da cabeça do parafuso. Optei em abrir o canal com uma router plane do início ao fim. Nesta etapa houve um acidente. Há um pequeno nó na rampa. Quando a lâmina passava pelo nó a resistência era muito grande. Em uma das passadas a plaina saltou e golpeou o final do canal. Isso me rendeu uma nova retificação da rampa, o que foi muito tenso de se fazer porque já estava tudo marcado e agora havia um canal no meio para dificultar a passagem da block plane que retifica a rampa. Tive também que estender o canal em mais 1/8" para deixá-lo com o acabamento desejado. Acabei não fotografando o dano porque nem consegui pensar nisso na hora, de fato foi um momento bem tenso!

Ampliação de duas fitas retiradas pela router plane. É possível perceber a presença do nó mencionado acima:

Fiz a colagem de forma precária e infelizmente fiquei com os furos da cavilha fora do esquadro. De fato se faz necessário uma boa reflexão sobre a forma de se colar o corpo, e, as cavilhas guia me parecem bem oportunas. Enfim, foi uma etapa tão frustante que nem quis saber de fotografias...

Grampos retirados, coloquei a plaina na morsa com a sola voltada para cima e fiz a remoção da cola e retificação com uma plaina #6. Aplainei as laterais e o topo, deixando a peça novamente no esquadro. Após a retifica eu virei a sola para cima novamente e aplainei até a lâmina aparecer com um mínimo de filete luminoso. Essa é a etapa de abertura da boca. Terminei com algumas passadas de uma lima na parte da boca que pertence ao bloco do nariz da plaina:

A ansiedade subiu a cabeça e tratei de providenciar uma cunha qualquer para ver se a plaina iria funcionar. Em pouco tempo de trabalho eu tinha em mãos uma cunha que travava satisfatoriamente. Fiz a primeira afiação da lâmina, montei-a na plaina, pequei um martelo qualquer de ferro e cuidadosamente tentei fazer algum ajuste inicial para obter uma fita relativamente grossa. De tanto assistir outros marceneiros ajustando plainas de madeiras, de certo modo eu sabia o que tinha que fazer. Tudo pronto, subi o dog da bancada, coloquei uma pequena ripa de Cedro e...

Obtive a minha primeira fita com uma plaina de madeira! Foi muito emocionante... Parei a plaina enquanto ainda tirava a fita, suspendi a plaina e a ripa e fui ao encontro dos meus familiares para demonstrar o feito :D A câmera estava ao lado e fiz as fotografias acima. Sim, a plaina funciona!

Fiquei mais de uma hora brincando em fazer outros ajustes, parecia uma criança com o seu brinquedo de Natal. Abaixo fotografei uma retirada de uma fita com a largura da lâmina em um pedaço de Peroba Mica. Com relação ao martelo mencionado acima, é pertinente enfatizar que não é um martelo adequado para tal tarefa. Não só pelo tamanho e peso, mas sim pela dureza do metal. Uma recomendação é o uso de uma material mais macio, como por exemplo o latão.

Confesso que estou tão realizado que nem sei o que faço primeiro: uma cunha apropriada, um martelinho para ajustes, o molde da plaina, ou, continuar simplesmente brincando. Uma boa virada para todos ;)

Comentários

  • paulobro

    31 de Dezembro de 2015, 02h56m

    Nada como o regozijo de um retumbante e delicioso sucesso para fechar este ano tao problematico e depressivo em uma nota ascendente.

    cosme

    31 de Dezembro de 2015, 08h44m

    Confesso que ontem fiquei pensando no contexto de final de ano.
    Inclusive eu me lembrei, não sei se a minha memória falha mas enfim, que o romper de 2015 foi marcado pela construção da base da minha bancada.
    Um sentimento de virada do ano com o pé direito, hehe.

    Em tempo, na noite retrasada fui para a cama com o desejo de não sonhar com a estória do velho Krenov e o corpo que vibrava, sai pra lá assombração, hehe

    Abraço

    paulobro

    1 de Janeiro de 2016, 02h30m

    Prevenindo sonhos maus, o link para o tal video:
    http://bcove.me/2o0xeyf2

    cosme

    1 de Janeiro de 2016, 21h54m

    Excelente, obrigado por compartilhar.

  • sergiomontanha

    31 de Dezembro de 2015, 07h35m

    Fantástico Cosme! A felicidade de ver uma peça dessas feita por você mesmo funcionando tão bem, deve ser indescritível. Estás de parabéns e espero que a plaina faça muitas fitas e lhe dê muitos sorrisos de satisfação. Como disse o nosso amigo paulobro, fechou o ano com chave de ouro.

    Um grande abraço.

    cosme

    31 de Dezembro de 2015, 08h44m

    Fantástico né Sérgio?! A coisa funciona! hehe
    Abraço

  • Milton Wilson Martins

    31 de Dezembro de 2015, 08h12m

    Poxa, como é bom ver uma criança feliz

    cosme

    31 de Dezembro de 2015, 08h44m

    :D

    Abraço

  • Adenilson

    31 de Dezembro de 2015, 08h50m

    Cosme a pergunta no outro post foi respondida aqui, sobre a dureza da madeira... rs.

    Parabéns, fico feliz com a sua felicidade e realização... Seu esforço merece a gratificação...

    abraços.

    cosme

    31 de Dezembro de 2015, 08h55m

    É verdade, eu acabei respondendo lá, até porque você fala de peso.
    Obrigado, agora vou tentar me decidir sobre o próximo passo, hehe.
    Abraço

  • Ademir Schneider

    31 de Dezembro de 2015, 09h10m

    Realmente perfeita. E funcionando que é uma beleza.
    Parabéns pelo feito. Feliz 2016

    cosme

    31 de Dezembro de 2015, 09h15m

    Obrigado Ademir, uma boa virada para você e feliz ano novo!
    Abraço

  • Renato

    1 de Janeiro de 2016, 20h09m

    Belo trabalho!!!
    Acompanhando seus posts.
    Abraço
    Renato

    cosme

    1 de Janeiro de 2016, 21h56m

    Bacana Renato, obrigado.
    Hoje eu fiz o shape da plaina e apliquei um pouco de Tungue. Em breve publicarei no site uma atualização.
    Abraço!

  • Rubens Lima

    5 de Janeiro de 2016, 14h54m

    Boa tarde Cosme,

    O site está ficando recheado e muito inspirador, e claro a plaina é mais um dos projetos que da vontade de fazer. Parabéns.

    "... nem sei o que faço primeiro: uma cunha apropriada, um martelinho para ajustes, o molde da plaina, ou, continuar simplesmente brincando..."

    Imagino que vá fazer todos, rsrs. E não esqueça de mostrar.

    Grande abraço.

    cosme

    5 de Janeiro de 2016, 22h06m

    Pois é, o conteúdo está aflorando, isso é bom :)
    Você termina a primeira com vontade de fazer a segunda.
    Hehe, eu optei logo em seguida pelo martelinho. Postarei assim que possível.
    Percebi logo que antes de mais nada eu precisava urgentemente de um martelo adequado.

    Um abraço

Participe, deixe um comentário:

Nome
Email
Comentário